Associação de Municípios da Cova da Beira

Notícias

  • Ver Imagem
    14-05-2018

    - AVISO - ABERTURA DE PROCEDIMENTO CONCURSAL

    - AVISO -
    ABERTURA DE PROCEDIMENTO CONCURSAL PARA
    REGULARIZAÇÃO EXTRAORDINÁRIA DE VÍNCULOS PRECÁRIOS – 1 POSTO DE TRABALHO
    1. Torna-se público, nos termos e para os efeitos conjugados do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, do n.º 2 do artigo 33.º, da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, aprovada em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho (doravante designada LTFP), e da alínea b) do n.º 1 do artigo 19.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril, que por deliberação do Conselho Diretivo da Associação de Municípios da Cova da Beira, datada de 23 de Abril de 2018, se encontram abertos, pelo prazo de 10 (dez) dias úteis, contados da data da publicação do presente Aviso na Bolsa de Emprego Público (BEP), o procedimento concursal comum abaixo indicado, para ocupação de um (1) posto de trabalho, previsto e não ocupado no Mapa de Pessoal desta Associação, na Divisão de Administração Geral, na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado:
    2. Identificação dos postos de trabalho:
    Carreira/Categoria de Técnico Superior
    Referência D - Um (1) Técnico Superior na área de Reabilitação Psicomotora.
    3. Local de trabalho: Belmonte.
    4. Postos de trabalho a regularizar:
    4.1. As funções gerais para as carreiras/categorias, tal como definidas na LTFP, aprovada em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, e de acordo com o estabelecido no seu artigo 88.º, às quais correspondem os graus de complexidade previstos no n.º 1 do artigo 86.º, da mesma Lei:
    Referência D - “Funções Consultivas, de estudo, planeamento, programação, avaliação e aplicação de métodos e processos de natureza técnica e ou científica, que fundamentam e preparam a decisão. Elaboração, autonomamente ou em grupo, de pareceres e projetos, com diversos graus de complexidade, e execução de outras atividades de apoio geral ou especializado nas áreas de atuação comuns, instrumentais e operativas dos órgãos e serviços. Funções exercidas com responsabilidade e autonomia técnica, ainda que com enquadramento superior qualificado. Representação do órgão ou serviço em assuntos da sua especialidade, tomando opções de índole técnica, enquadradas por diretivas ou orientações superiores”, às quais corresponde o grau de complexidade de nível 3.
    4.2. Caracterização do Posto de Trabalho:
    Referência D - Funções Consultivas, de estudo, planeamento, programação, avaliação e aplicação de métodos e processos de natureza técnica e ou científica, que fundamentam e preparam a decisão. Elaboração, autonomamente ou em grupo, de pareceres e projetos, com diversos graus de complexidade, e execução de outras atividades de apoio geral ou especializado nas áreas de atuação comuns, instrumentais e operativas dos órgãos e serviços. Funções exercidas com responsabilidade e autonomia técnica, ainda que com enquadramento superior qualificado. Representação do órgão ou
    serviço em assuntos da sua especialidade, tomando opções de índole técnica, enquadradas por diretivas
    ou orientações superiores, às quais corresponde o grau de complexidade de nível 3.
    5. Determinação do posicionamento remuneratório:
    5.1 De acordo com o artigo 12.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, à pessoa recrutada é atribuída
    a 2.ª posição remuneratória da categoria única da carreira geral de técnico superior.
    6. Âmbito do recrutamento:
    6.1. Em conformidade com o disposto no n.º 2 do artigo 3.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro,
    podem ser opositores as pessoas que exerçam ou tenham exercido as funções em causa:
    a) No período entre 1 de janeiro a 4 de maio de 2017, ou parte dele, e durante pelo menos um ano à
    data do início do procedimento concursal de regularização;
    b) Nos casos de exercício de funções no período entre 1 de janeiro e 4 de maio de 2017, ao abrigo de
    contratos emprego-inserção, contratos emprego-inserção+, as que tenham exercido as mesmas funções
    nas condições referidas no proémio, durante algum tempo nos três anos anteriores à data do início do
    procedimento concursal de regularização;
    c) Nos casos de exercício de funções ao abrigo de contratos de estágio celebrados com a exclusiva
    finalidade de suprir a carência de recursos humanos essenciais para a satisfação de necessidades
    permanentes, durante algum tempo nos três anos anteriores à data do início do procedimento concursal
    de regularização.
    7. Prazo, forma e local para apresentação de candidaturas:
    7.1. Prazo: 10 dias úteis, contados da data da publicação do presente Aviso;
    7.2. Forma: Por correio eletrónico, podendo também ser entregue em papel, mediante o
    preenchimento do formulário de candidatura, disponível em www.amcb.pt, acompanhado da
    documentação indicada no ponto 9 que se segue;
    7.3. Local: Por correio eletrónico para [email protected] ou pessoalmente, na sede da AMCB, Largo
    dos Bombeiros Voluntários, 6250-088 Belmonte, nos dias úteis das 9h00m às 12h30m e das 14h00m às
    17h30m.
    8. Requisitos de admissão:
    8.1. Gerais: São requisitos gerais os previstos no artigo 17.º da LTFP, aprovada em anexo à Lei n.º
    35/2014, de 20 de junho, designadamente:
    a) Nacionalidade portuguesa, quando não dispensada pela Constituição, convenção internacional ou lei
    especial;
    b) 18 anos de idade completos;
    c) Não inibição do exercício de funções públicas ou não interdição para o exercício daquelas que se
    propõe desempenhar;
    d) Robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções;
    e) Cumprimento das leis de vacinação obrigatória.
    O candidato deverá declarar obrigatoriamente no formulário de candidatura que reúne os requisitos
    acima indicados.
    8.2. Nível habilitacional:
    Referência D - Titularidade de Licenciatura em Reabilitação Psicomotora, não sendo possível a
    substituição do nível habilitacional por formação ou experiência profissional.
    9. Documentos a apresentar:
    9.1. O formulário de candidatura deverá ser acompanhado dos seguintes documentos, sob pena de
    exclusão do candidato:
    • Curriculum Vitae atualizado e detalhado, mencionando nomeadamente a experiência profissional
    relevante para o exercício das funções do lugar a concurso, ações de formação e aperfeiçoamento
    profissional relevantes, com referência à sua duração;
    • Fotocópia do certificado de habilitações literárias;
    • Fotocópia dos comprovativos dos requisitos específicos (para os casos em que seja aplicável);
    • Fotocópias de outros documentos comprovativos dos factos referidos no Curriculum Vitae.
    10. Para aplicação dos métodos de seleção e respetivos parâmetros, quando aplicável, apenas serão
    considerados os factos/elementos devidamente documentados.
    11. A apresentação de documento falso determina a exclusão do candidato, sem prejuízo de
    participação às entidades competentes para efeitos de procedimento disciplinar e/ou penal.
    12. Métodos de seleção:
    12.1 Nos termos do n.º 6 do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, são aplicáveis os
    métodos de seleção de avaliação curricular, sendo fator de ponderação o tempo de exercício de
    funções caracterizadoras dos postos de trabalho a concurso e, havendo mais de um opositor no
    recrutamento para o mesmo posto de trabalho, é ainda aplicável a entrevista profissional de seleção;
    12.2 Aos candidatos abrangidos pelo n.º 2 do artigo 36.º da LTFP, serão aplicados os seguintes métodos
    de seleção: Avaliação Curricular (AC) e o método complementar de Entrevista Profissional de Seleção
    (EPS) para os postos de trabalho onde sejam opositores mais de um candidato. Sendo os métodos
    utilizados eliminatórios pela ordem enunciada, serão excluídos aqueles que obtenham uma
    classificação final inferior a 9,5 valores num dos métodos, ou que não compareçam à realização da
    entrevista profissional de seleção, quando aplicável.
    A ordenação final dos candidatos que completem os procedimentos concursais será efetuada numa
    escala de 0 a 20 valores e de acordo com aplicação das regras seguintes:
    - Procedimentos concursais em que exista um único candidato ao posto de trabalho:
    CF = AC x 100 %
    - Procedimentos concursais em que exista mais do que um candidato para o (s) posto (s) de trabalho:
    CF - = (AC x 80%) + (EPS x 20%)
    Em que:
    CF = Classificação Final;
    AC = Avaliação Curricular;
    EPS = Entrevista Profissional de Seleção.
    12.3 A Avaliação Curricular visa analisar a qualificação dos candidatos, designadamente a habilitação
    académica ou profissional, percurso profissional, relevância da experiência adquirida e da formação
    realizada e tipo de funções exercidas.
    12.4 Na Avaliação Curricular (AC) serão considerados e ponderados numa escala de 0 a 20 valores, os
    seguintes parâmetros:
    Habilitação Académica (HA);
    Formação Profissional (FP);
    Experiência Profissional (EP).
    12.5 A Avaliação Curricular será expressa numa escala de 0 a 20 valores, com valoração até às
    centésimas, sendo a classificação obtida através da média aritmética simples das classificações dos
    elementos a avaliar, de acordo com a aplicação da fórmula seguinte:
    AC = (HA x 10%) + (FP x 10%) + (EP x 80%)
    12.6 Sempre que algum dos documentos apresentados pelos candidatos impossibilite a avaliação de um
    dos parâmetros relativos à Avaliação Curricular, ser-lhe-á atribuída a nota mínima prevista para esse
    parâmetro.
    12.7 A Entrevista Profissional de Seleção (EPS), visa avaliar, de forma objetiva e sistemática, a
    experiência profissional e aspetos comportamentais evidenciados durante a interação estabelecida
    entre o júri e o entrevistado, nomeadamente os relacionados com a capacidade de comunicação e de
    relacionamento interpessoal.
    Será avaliada de 0 a 20 valores com valoração até às centésimas e incidirá sobre os seguintes
    parâmetros de avaliação:
    Qualidade da Experiência Profissional (QEP);
    Motivação / Interesse (MI);
    Responsabilidade (R);
    Sentido Crítico (SC).
    12.8. Por cada entrevista profissional de seleção será elaborada uma ficha individual contendo o
    resumo dos temas abordados, os parâmetros de avaliação e a classificação obtida em cada um deles,
    devidamente fundamentada, sendo o local, data e hora da sua realização atempadamente afixados em
    local visível e público nas instalações da AMCB;
    12.9. Sendo realizada pelo Júri, a classificação a atribuir a cada parâmetro de avaliação resulta de
    votação nominal e por maioria, e o resultado final obtido através da média aritmética simples das
    classificações dos parâmetros em avaliação:
    EPS = (QEP + MI + R + SC) / 4
    13. Os critérios de apreciação e ponderação a utilizar na aplicação dos métodos de seleção, bem como
    o sistema de classificação final, incluindo a respetiva fórmula classificativa, constam de ata de reunião
    do júri dos procedimentos concursais, sendo a mesma facultada aos candidatos sempre que solicitada.
    14. Critérios de desempate:
    Na sequência da aplicação dos métodos de seleção e da ordenação final dos candidatos, subsistindo o
    empate, após a aplicação dos critérios de ordenação preferencial previstos no artigo 35.º da Portaria
    n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril,
    serão utilizados os critérios de desempate abaixo enunciados, de acordo com a seguinte ordem:
    1.º - Candidato com maior experiência profissional na área funcional;
    2.º - Candidato com maior formação profissional na área.
    15. Constituição do Júri
    15.1. Referência D
    Efetivos
    Presidente: Fernando Adriano Neto, Chefe de Equipa Multidisciplinar da Qualidade, Modernização
    Administrativa e Auditoria da Câmara Municipal de Seia.
    Vogais Efetivos: Paulo Alexandre Saúde Mendonça, Chefe de Divisão de Infraestruturas, Vias, Obras
    Municipais e Ambiente da Câmara Municipal de Seia e José Manuel Custódia Biscaia, Secretário-Geral
    da Associação de Municípios da Cova da Beira.
    Vogais Suplentes: António Luís Monteiro Ruas, Primeiro Secretário executivo intermunicipal da
    Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra da Estrela e António José Dinis Miraldes, Chefe de equipa
    multidisciplinar, Coordenador da Equipa de Apoio Técnico da Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra
    da Estrela.
    16. Os candidatos serão notificados por uma das formas previstas no n.º 3 do artigo 30.º da Portaria n.º
    83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril.
    17. A lista dos resultados obtidos será disponibilizada em www.amcb.pt e afixada em local visível e
    público na sede da AMCB, em Belmonte.
    18. A lista unitária de ordenação final, após homologação, será publicada em www.amcb.pt e afixada
    em local visível e público na sede da AMCB, em Belmonte.
    19. Nos termos do n.º 4 do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, o presente aviso será
    publicado na bolsa de emprego público

    Faça o download do formulario de candidatura:

    (www.bep.gov.pt).https://drive.google.com/file/d/1o1GGJi5g70JAQDutbfBsDmsle0mJ3xEW/view


    Belmonte, 14 de Maio de 2018.
    O Presidente do Conselho Diretivo
    Dr. António Pinto Dias Rocha

  • Ver Imagem
    14-05-2018

    - AVISO - ABERTURA DE PROCEDIMENTO CONCURSAL


    1. Torna-se público, nos termos e para os efeitos conjugados do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, do n.º 2 do artigo 33.º, da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, aprovada em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho (doravante designada LTFP), e da alínea b) do n.º 1 do artigo 19.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril, que por deliberação do Conselho Diretivo da Associação de Municípios da Cova da Beira, datada de 23 de Abril de 2018, se encontram abertos, pelo prazo de 10 (dez) dias úteis, contados da data da publicação do presente Aviso na Bolsa de Emprego Público (BEP), o procedimento concursal comum abaixo indicado, para ocupação de um (1) posto de trabalho, previsto e não ocupado no Mapa de Pessoal desta Associação, na Divisão de Administração Geral, na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado:
    2. Identificação dos postos de trabalho:
    Carreira/Categoria de Técnico Superior
    Referência C - Um (1) Técnico Superior na área de Geografia - Área de Especialização em Estudos Ambientais.
    3. Local de trabalho: Belmonte.
    4. Postos de trabalho a regularizar:
    4.1. As funções gerais para as carreiras/categorias, tal como definidas na LTFP, aprovada em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, e de acordo com o estabelecido no seu artigo 88.º, às quais correspondem os graus de complexidade previstos no n.º 1 do artigo 86.º, da mesma Lei:
    Referência C - “Funções Consultivas, de estudo, planeamento, programação, avaliação e aplicação de métodos e processos de natureza técnica e ou científica, que fundamentam e preparam a decisão. Elaboração, autonomamente ou em grupo, de pareceres e projetos, com diversos graus de complexidade, e execução de outras atividades de apoio geral ou especializado nas áreas de atuação comuns, instrumentais e operativas dos órgãos e serviços. Funções exercidas com responsabilidade e autonomia técnica, ainda que com enquadramento superior qualificado. Representação do órgão ou serviço em assuntos da sua especialidade, tomando opções de índole técnica, enquadradas por diretivas ou orientações superiores”, às quais corresponde o grau de complexidade de nível 3.
    4.2. Caracterização do Posto de Trabalho:
    Referência C - Funções Consultivas, de estudo, planeamento, programação, avaliação e aplicação de métodos e processos de natureza técnica e ou científica, que fundamentam e preparam a decisão. Elaboração, autonomamente ou em grupo, de pareceres e projetos, com diversos graus de complexidade, e execução de outras atividades de apoio geral ou especializado nas áreas de atuação comuns, instrumentais e operativas dos órgãos e serviços. Funções exercidas com responsabilidade e
    autonomia técnica, ainda que com enquadramento superior qualificado. Representação do órgão ou
    serviço em assuntos da sua especialidade, tomando opções de índole técnica, enquadradas por diretivas
    ou orientações superiores, às quais corresponde o grau de complexidade de nível 3.
    5. Determinação do posicionamento remuneratório:
    5.1 De acordo com o artigo 12.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, à pessoa recrutada é atribuída
    a 2.ª posição remuneratória da categoria única da carreira geral de técnico superior.
    6. Âmbito do recrutamento:
    6.1. Em conformidade com o disposto no n.º 2 do artigo 3.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro,
    podem ser opositores as pessoas que exerçam ou tenham exercido as funções em causa:
    a) No período entre 1 de janeiro a 4 de maio de 2017, ou parte dele, e durante pelo menos um ano à
    data do início do procedimento concursal de regularização;
    b) Nos casos de exercício de funções no período entre 1 de janeiro e 4 de maio de 2017, ao abrigo de
    contratos emprego-inserção, contratos emprego-inserção+, as que tenham exercido as mesmas funções
    nas condições referidas no proémio, durante algum tempo nos três anos anteriores à data do início do
    procedimento concursal de regularização;
    c) Nos casos de exercício de funções ao abrigo de contratos de estágio celebrados com a exclusiva
    finalidade de suprir a carência de recursos humanos essenciais para a satisfação de necessidades
    permanentes, durante algum tempo nos três anos anteriores à data do início do procedimento concursal
    de regularização.
    7. Prazo, forma e local para apresentação de candidaturas:
    7.1. Prazo: 10 dias úteis, contados da data da publicação do presente Aviso;
    7.2. Forma: Por correio eletrónico, podendo também ser entregue em papel, mediante o
    preenchimento do formulário de candidatura, disponível em www.amcb.pt, acompanhado da
    documentação indicada no ponto 9 que se segue;
    7.3. Local: Por correio eletrónico para [email protected] ou pessoalmente, na sede da AMCB, Largo
    dos Bombeiros Voluntários, 6250-088 Belmonte, nos dias úteis das 9h00m às 12h30m e das 14h00m às
    17h30m.
    8. Requisitos de admissão:
    8.1. Gerais: São requisitos gerais os previstos no artigo 17.º da LTFP, aprovada em anexo à Lei n.º
    35/2014, de 20 de junho, designadamente:
    a) Nacionalidade portuguesa, quando não dispensada pela Constituição, convenção internacional ou lei
    especial;
    b) 18 anos de idade completos;
    c) Não inibição do exercício de funções públicas ou não interdição para o exercício daquelas que se
    propõe desempenhar;
    d) Robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções;
    e) Cumprimento das leis de vacinação obrigatória.
    O candidato deverá declarar obrigatoriamente no formulário de candidatura que reúne os requisitos
    acima indicados.
    8.2. Nível habilitacional:
    Referência C - Titularidade de Licenciatura em Geografia - Área de Especialização em Estudos
    Ambientais, não sendo possível a substituição do nível habilitacional por formação ou experiência
    profissional.
    9. Documentos a apresentar:
    9.1. O formulário de candidatura deverá ser acompanhado dos seguintes documentos, sob pena de
    exclusão do candidato:
    • Curriculum Vitae atualizado e detalhado, mencionando nomeadamente a experiência profissional
    relevante para o exercício das funções do lugar a concurso, ações de formação e aperfeiçoamento
    profissional relevantes, com referência à sua duração;
    • Fotocópia do certificado de habilitações literárias;
    • Fotocópia dos comprovativos dos requisitos específicos (para os casos em que seja aplicável);
    • Fotocópias de outros documentos comprovativos dos factos referidos no Curriculum Vitae.
    10. Para aplicação dos métodos de seleção e respetivos parâmetros, quando aplicável, apenas serão
    considerados os factos/elementos devidamente documentados.
    11. A apresentação de documento falso determina a exclusão do candidato, sem prejuízo de
    participação às entidades competentes para efeitos de procedimento disciplinar e/ou penal.
    12. Métodos de seleção:
    12.1 Nos termos do n.º 6 do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, são aplicáveis os
    métodos de seleção de avaliação curricular, sendo fator de ponderação o tempo de exercício de
    funções caracterizadoras dos postos de trabalho a concurso e, havendo mais de um opositor no
    recrutamento para o mesmo posto de trabalho, é ainda aplicável a entrevista profissional de seleção;
    12.2 Aos candidatos abrangidos pelo n.º 2 do artigo 36.º da LTFP, serão aplicados os seguintes métodos
    de seleção: Avaliação Curricular (AC) e o método complementar de Entrevista Profissional de Seleção
    (EPS) para os postos de trabalho onde sejam opositores mais de um candidato. Sendo os métodos
    utilizados eliminatórios pela ordem enunciada, serão excluídos aqueles que obtenham uma
    classificação final inferior a 9,5 valores num dos métodos, ou que não compareçam à realização da
    entrevista profissional de seleção, quando aplicável.
    A ordenação final dos candidatos que completem os procedimentos concursais será efetuada numa
    escala de 0 a 20 valores e de acordo com aplicação das regras seguintes:
    - Procedimentos concursais em que exista um único candidato ao posto de trabalho:
    CF = AC x 100 %
    - Procedimentos concursais em que exista mais do que um candidato para o (s) posto (s) de trabalho:
    CF - = (AC x 80%) + (EPS x 20%)
    Em que:
    CF = Classificação Final;
    AC = Avaliação Curricular;
    EPS = Entrevista Profissional de Seleção.
    12.3 A Avaliação Curricular visa analisar a qualificação dos candidatos, designadamente a habilitação
    académica ou profissional, percurso profissional, relevância da experiência adquirida e da formação
    realizada e tipo de funções exercidas.
    12.4 Na Avaliação Curricular (AC) serão considerados e ponderados numa escala de 0 a 20 valores, os
    seguintes parâmetros:
    Habilitação Académica (HA);
    Formação Profissional (FP);
    Experiência Profissional (EP).
    12.5 A Avaliação Curricular será expressa numa escala de 0 a 20 valores, com valoração até às
    centésimas, sendo a classificação obtida através da média aritmética simples das classificações dos
    elementos a avaliar, de acordo com a aplicação da fórmula seguinte:
    AC = (HA x 10%) + (FP x 10%) + (EP x 80%)
    12.6 Sempre que algum dos documentos apresentados pelos candidatos impossibilite a avaliação de um
    dos parâmetros relativos à Avaliação Curricular, ser-lhe-á atribuída a nota mínima prevista para esse
    parâmetro.
    12.7 A Entrevista Profissional de Seleção (EPS), visa avaliar, de forma objetiva e sistemática, a
    experiência profissional e aspetos comportamentais evidenciados durante a interação estabelecida
    entre o júri e o entrevistado, nomeadamente os relacionados com a capacidade de comunicação e de
    relacionamento interpessoal.
    Será avaliada de 0 a 20 valores com valoração até às centésimas e incidirá sobre os seguintes
    parâmetros de avaliação:
    Qualidade da Experiência Profissional (QEP);
    Motivação / Interesse (MI);
    Responsabilidade (R);
    Sentido Crítico (SC).
    12.8. Por cada entrevista profissional de seleção será elaborada uma ficha individual contendo o
    resumo dos temas abordados, os parâmetros de avaliação e a classificação obtida em cada um deles,
    devidamente fundamentada, sendo o local, data e hora da sua realização atempadamente afixados em
    local visível e público nas instalações da AMCB;
    12.9. Sendo realizada pelo Júri, a classificação a atribuir a cada parâmetro de avaliação resulta de
    votação nominal e por maioria, e o resultado final obtido através da média aritmética simples das
    classificações dos parâmetros em avaliação:
    EPS = (QEP + MI + R + SC) / 4
    13. Os critérios de apreciação e ponderação a utilizar na aplicação dos métodos de seleção, bem como
    o sistema de classificação final, incluindo a respetiva fórmula classificativa, constam de ata de reunião
    do júri dos procedimentos concursais, sendo a mesma facultada aos candidatos sempre que solicitada.
    14. Critérios de desempate:
    Na sequência da aplicação dos métodos de seleção e da ordenação final dos candidatos, subsistindo o
    empate, após a aplicação dos critérios de ordenação preferencial previstos no artigo 35.º da Portaria
    n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril,
    serão utilizados os critérios de desempate abaixo enunciados, de acordo com a seguinte ordem:
    1.º - Candidato com maior experiência profissional na área funcional;
    2.º - Candidato com maior formação profissional na área.
    15. Constituição do Júri
    15.1. Referência C
    Efetivos
    Presidente: Fernando Adriano Neto, Chefe de Equipa Multidisciplinar da Qualidade, Modernização
    Administrativa e Auditoria da Câmara Municipal de Seia.
    Vogais Efetivos: Paulo Alexandre Saúde Mendonça, Chefe de Divisão de Infraestruturas, Vias, Obras
    Municipais e Ambiente da Câmara Municipal de Seia e José Manuel Custódia Biscaia, Secretário-Geral
    da Associação de Municípios da Cova da Beira.
    Vogais Suplentes: António Luís Monteiro Ruas, Primeiro Secretário executivo intermunicipal da
    Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra da Estrela e António José Dinis Miraldes, Chefe de equipa
    multidisciplinar, Coordenador da Equipa de Apoio Técnico da Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra
    da Estrela.
    16. Os candidatos serão notificados por uma das formas previstas no n.º 3 do artigo 30.º da Portaria n.º
    83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril.
    17. A lista dos resultados obtidos será disponibilizada em www.amcb.pt e afixada em local visível e
    público na sede da AMCB, em Belmonte.
    18. A lista unitária de ordenação final, após homologação, será publicada em www.amcb.pt e afixada
    em local visível e público na sede da AMCB, em Belmonte.
    19. Nos termos do n.º 4 do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, o presente aviso será
    publicado na bolsa de emprego público (www.bep.gov.pt).

    Download formlario de candidatura no link em baixo:

    https://drive.google.com/file/d/1o1GGJi5g70JAQDutbfBsDmsle0mJ3xEW/view
    Belmonte, 14 de Maio de 2018.
    O Presidente do Conselho Diretivo
    Dr. António Pinto Dias Rocha

  • Ver Imagem
    14-05-2018

    -AVISO- ABERTURA DE PROCEDIMENTO CONCURSAL


    ABERTURA DE PROCEDIMENTO CONCURSAL PARA
    REGULARIZAÇÃO EXTRAORDINÁRIA DE VÍNCULOS PRECÁRIOS – 1 POSTO DE TRABALHO
    1. Torna-se público, nos termos e para os efeitos conjugados do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, do n.º 2 do artigo 33.º, da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, aprovada em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho (doravante designada LTFP), e da alínea b) do n.º 1 do artigo 19.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril, que por deliberação do Conselho Diretivo da Associação de Municípios da Cova da Beira, datada de 23 de Abril de 2018, se encontram abertos, pelo prazo de 10 (dez) dias úteis, contados da data da publicação do presente Aviso na Bolsa de Emprego Público (BEP), o procedimento concursal comum abaixo indicado, para ocupação de um (1) posto de trabalho, previsto e não ocupado no Mapa de Pessoal desta Associação, na Divisão de Administração Geral, na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado:
    2. Identificação dos postos de trabalho:
    Carreira/Categoria de Técnico Superior
    Referência B - Um (1) Técnico Superior na área de Engenharia do Ordenamento de Recursos Naturais e Ambiente.
    3. Local de trabalho: Belmonte.
    4. Postos de trabalho a regularizar:
    4.1. As funções gerais para as carreiras/categorias, tal como definidas na LTFP, aprovada em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, e de acordo com o estabelecido no seu artigo 88.º, às quais correspondem os graus de complexidade previstos no n.º 1 do artigo 86.º, da mesma Lei:
    Referência B - “Funções Consultivas, de estudo, planeamento, programação, avaliação e aplicação de métodos e processos de natureza técnica e ou científica, que fundamentam e preparam a decisão. Elaboração, autonomamente ou em grupo, de pareceres e projetos, com diversos graus de complexidade, e execução de outras atividades de apoio geral ou especializado nas áreas de atuação comuns, instrumentais e operativas dos órgãos e serviços. Funções exercidas com responsabilidade e autonomia técnica, ainda que com enquadramento superior qualificado. Representação do órgão ou serviço em assuntos da sua especialidade, tomando opções de índole técnica, enquadradas por diretivas ou orientações superiores”, às quais corresponde o grau de complexidade de nível 3.
    4.2. Caracterização do Posto de Trabalho:
    Referência B - Funções Consultivas, de estudo, planeamento, programação, avaliação e aplicação de métodos e processos de natureza técnica e ou científica, que fundamentam e preparam a decisão. Elaboração, autonomamente ou em grupo, de pareceres e projetos, com diversos graus de complexidade, e execução de outras atividades de apoio geral ou especializado nas áreas de atuação comuns, instrumentais e operativas dos órgãos e serviços. Funções exercidas com responsabilidade e autonomia técnica, ainda que com enquadramento superior qualificado. Representação do órgão ou
    serviço em assuntos da sua especialidade, tomando opções de índole técnica, enquadradas por diretivas ou orientações superiores, às quais corresponde o grau de complexidade de nível 3.
    5. Determinação do posicionamento remuneratório:
    5.1 De acordo com o artigo 12.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, à pessoa recrutada é atribuída a 2.ª posição remuneratória da categoria única da carreira geral de técnico superior.
    6. Âmbito do recrutamento:
    6.1. Em conformidade com o disposto no n.º 2 do artigo 3.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, podem ser opositores as pessoas que exerçam ou tenham exercido as funções em causa:
    a) No período entre 1 de janeiro a 4 de maio de 2017, ou parte dele, e durante pelo menos um ano à data do início do procedimento concursal de regularização;
    b) Nos casos de exercício de funções no período entre 1 de janeiro e 4 de maio de 2017, ao abrigo de contratos emprego-inserção, contratos emprego-inserção+, as que tenham exercido as mesmas funções nas condições referidas no proémio, durante algum tempo nos três anos anteriores à data do início do procedimento concursal de regularização;
    c) Nos casos de exercício de funções ao abrigo de contratos de estágio celebrados com a exclusiva finalidade de suprir a carência de recursos humanos essenciais para a satisfação de necessidades permanentes, durante algum tempo nos três anos anteriores à data do início do procedimento concursal de regularização.
    7. Prazo, forma e local para apresentação de candidaturas:
    7.1. Prazo: 10 dias úteis, contados da data da publicação do presente Aviso;
    7.2. Forma: Por correio eletrónico, podendo também ser entregue em papel, mediante o preenchimento do formulário de candidatura, disponível em www.amcb.pt, acompanhado da documentação indicada no ponto 9 que se segue;
    7.3. Local: Por correio eletrónico para [email protected] ou pessoalmente, na sede da AMCB, Largo dos Bombeiros Voluntários, 6250-088 Belmonte, nos dias úteis das 9h00m às 12h30m e das 14h00m às 17h30m.
    8. Requisitos de admissão:
    8.1. Gerais: São requisitos gerais os previstos no artigo 17.º da LTFP, aprovada em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, designadamente:
    a) Nacionalidade portuguesa, quando não dispensada pela Constituição, convenção internacional ou lei especial;
    b) 18 anos de idade completos;
    c) Não inibição do exercício de funções públicas ou não interdição para o exercício daquelas que se propõe desempenhar;
    d) Robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções;
    e) Cumprimento das leis de vacinação obrigatória.
    O candidato deverá declarar obrigatoriamente no formulário de candidatura que reúne os requisitos acima indicados.
    8.2. Nível habilitacional:
    Referência B – Titularidade de Licenciatura em Engenharia do Ordenamento de Recursos Naturais e Ambiente, não sendo possível a substituição do nível habilitacional por formação ou experiência profissional.
    9. Documentos a apresentar:
    9.1. O formulário de candidatura deverá ser acompanhado dos seguintes documentos, sob pena de exclusão do candidato:
    • Curriculum Vitae atualizado e detalhado, mencionando nomeadamente a experiência profissional relevante para o exercício das funções do lugar a concurso, ações de formação e aperfeiçoamento profissional relevantes, com referência à sua duração;
    • Fotocópia do certificado de habilitações literárias;
    • Fotocópia dos comprovativos dos requisitos específicos (para os casos em que seja aplicável);
    • Fotocópias de outros documentos comprovativos dos factos referidos no Curriculum Vitae.
    10. Para aplicação dos métodos de seleção e respetivos parâmetros, quando aplicável, apenas serão considerados os factos/elementos devidamente documentados.
    11. A apresentação de documento falso determina a exclusão do candidato, sem prejuízo de participação às entidades competentes para efeitos de procedimento disciplinar e/ou penal.
    12. Métodos de seleção:
    12.1 Nos termos do n.º 6 do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, são aplicáveis os métodos de seleção de avaliação curricular, sendo fator de ponderação o tempo de exercício de funções caracterizadoras dos postos de trabalho a concurso e, havendo mais de um opositor no recrutamento para o mesmo posto de trabalho, é ainda aplicável a entrevista profissional de seleção;
    12.2 Aos candidatos abrangidos pelo n.º 2 do artigo 36.º da LTFP, serão aplicados os seguintes métodos de seleção: Avaliação Curricular (AC) e o método complementar de Entrevista Profissional de Seleção (EPS) para os postos de trabalho onde sejam opositores mais de um candidato. Sendo os métodos utilizados eliminatórios pela ordem enunciada, serão excluídos aqueles que obtenham uma classificação final inferior a 9,5 valores num dos métodos, ou que não compareçam à realização da entrevista profissional de seleção, quando aplicável.
    A ordenação final dos candidatos que completem os procedimentos concursais será efetuada numa escala de 0 a 20 valores e de acordo com aplicação das regras seguintes:
    - Procedimentos concursais em que exista um único candidato ao posto de trabalho:
    CF = AC x 100 %
    - Procedimentos concursais em que exista mais do que um candidato para o (s) posto (s) de trabalho:
    CF - = (AC x 80%) + (EPS x 20%)
    Em que:
    CF = Classificação Final;
    AC = Avaliação Curricular;
    EPS = Entrevista Profissional de Seleção.
    12.3 A Avaliação Curricular visa analisar a qualificação dos candidatos, designadamente a habilitação académica ou profissional, percurso profissional, relevância da experiência adquirida e da formação realizada e tipo de funções exercidas.
    12.4 Na Avaliação Curricular (AC) serão considerados e ponderados numa escala de 0 a 20 valores, os seguintes parâmetros:
    Habilitação Académica (HA);
    Formação Profissional (FP);
    Experiência Profissional (EP).
    12.5 A Avaliação Curricular será expressa numa escala de 0 a 20 valores, com valoração até às centésimas, sendo a classificação obtida através da média aritmética simples das classificações dos elementos a avaliar, de acordo com a aplicação da fórmula seguinte:
    AC = (HA x 10%) + (FP x 10%) + (EP x 80%)
    12.6 Sempre que algum dos documentos apresentados pelos candidatos impossibilite a avaliação de um dos parâmetros relativos à Avaliação Curricular, ser-lhe-á atribuída a nota mínima prevista para esse parâmetro.
    12.7 A Entrevista Profissional de Seleção (EPS), visa avaliar, de forma objetiva e sistemática, a experiência profissional e aspetos comportamentais evidenciados durante a interação estabelecida entre o júri e o entrevistado, nomeadamente os relacionados com a capacidade de comunicação e de relacionamento interpessoal.
    Será avaliada de 0 a 20 valores com valoração até às centésimas e incidirá sobre os seguintes parâmetros de avaliação:
    Qualidade da Experiência Profissional (QEP);
    Motivação / Interesse (MI);
    Responsabilidade (R);
    Sentido Crítico (SC).
    12.8. Por cada entrevista profissional de seleção será elaborada uma ficha individual contendo o resumo dos temas abordados, os parâmetros de avaliação e a classificação obtida em cada um deles, devidamente fundamentada, sendo o local, data e hora da sua realização atempadamente afixados em local visível e público nas instalações da AMCB;
    12.9. Sendo realizada pelo Júri, a classificação a atribuir a cada parâmetro de avaliação resulta de votação nominal e por maioria, e o resultado final obtido através da média aritmética simples das classificações dos parâmetros em avaliação:
    EPS = (QEP + MI + R + SC) / 4
    13. Os critérios de apreciação e ponderação a utilizar na aplicação dos métodos de seleção, bem como o sistema de classificação final, incluindo a respetiva fórmula classificativa, constam de ata de reunião do júri dos procedimentos concursais, sendo a mesma facultada aos candidatos sempre que solicitada.
    14. Critérios de desempate:
    Na sequência da aplicação dos métodos de seleção e da ordenação final dos candidatos, subsistindo o empate, após a aplicação dos critérios de ordenação preferencial previstos no artigo 35.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril, serão utilizados os critérios de desempate abaixo enunciados, de acordo com a seguinte ordem:
    1.º - Candidato com maior experiência profissional na área funcional;
    2.º - Candidato com maior formação profissional na área.
    15. Constituição do Júri
    15.1. Referência B
    Efetivos
    Presidente: Fernando Adriano Neto, Chefe de Equipa Multidisciplinar da Qualidade, Modernização Administrativa e Auditoria da Câmara Municipal de Seia.
    Vogais Efetivos: Paulo Alexandre Saúde Mendonça, Chefe de Divisão de Infraestruturas, Vias, Obras Municipais e Ambiente da Câmara Municipal de Seia e José Manuel Custódia Biscaia, Secretário-Geral da Associação de Municípios da Cova da Beira.
    Vogais Suplentes: António Luís Monteiro Ruas, Primeiro Secretário executivo intermunicipal da Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra da Estrela e António José Dinis Miraldes, Chefe de equipa multidisciplinar, Coordenador da Equipa de Apoio Técnico da Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra da Estrela.
    16. Os candidatos serão notificados por uma das formas previstas no n.º 3 do artigo 30.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril.
    17. A lista dos resultados obtidos será disponibilizada em www.amcb.pt e afixada em local visível e público na sede da AMCB, em Belmonte.
    18. A lista unitária de ordenação final, após homologação, será publicada em www.amcb.pt e afixada em local visível e público na sede da AMCB, em Belmonte.
    19. Nos termos do n.º 4 do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, o presente aviso será publicado na bolsa de emprego público (www.bep.gov.pt).

    Formulario de candidatura no Link em baixo:

    https://drive.google.com/file/d/1o1GGJi5g70JAQDutbfBsDmsle0mJ3xEW/view
    Belmonte, 14 de Maio de 2018.
    O Presidente do Conselho Diretivo
    Dr. António Pinto Dias Rocha

  • Ver Imagem
    14-05-2018

    - AVISO -

    ABERTURA DE PROCEDIMENTO CONCURSAL PARA REGULARIZAÇÃO EXTRAORDINÁRIA DE VÍNCULOS PRECÁRIOS – 2 POSTOS DE TRABALHO

    1. Torna-se público, nos termos e para os efeitos conjugados do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, do n.º 2 do artigo 33.º, da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, aprovada em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho (doravante designada LTFP), e da alínea b) do n.º 1 do artigo 19.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril, que por deliberação do Conselho Diretivo da Associação de Municípios da Cova da Beira, datada de 23 de Abril de 2018, se encontram abertos, pelo prazo de 10 (dez) dias úteis, contados da data da publicação do presente Aviso na Bolsa de Emprego Público (BEP), o procedimento concursal comum abaixo indicado, para ocupação de dois (2) postos de trabalho, previstos e não ocupados no Mapa de Pessoal desta Associação, na Divisão de Administração Geral, na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado:
    2. Identificação dos postos de trabalho:
      Carreira/Categoria de Técnico Superior
      Referência A - Dois (2) Técnicos Superiores na área de Economia.
    3. Local de trabalho:
      Belmonte.
    4. Postos de trabalho a regularizar:
      1. As funções gerais para as carreiras/categorias, tal como definidas na LTFP, aprovada em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, e de acordo com o estabelecido no seu artigo 88.º, às quais correspondem os graus de complexidade previstos no n.º 1 do artigo 86.º, da mesma Lei:
        Referência A - “Funções Consultivas, de estudo, planeamento, programação, avaliação e aplicação de métodos e processos de natureza técnica e ou científica, que fundamentam e preparam a decisão. Elaboração, autonomamente ou em grupo, de pareceres e projetos, com diversos graus de complexidade, e execução de outras atividades de apoio geral ou especializado nas áreas de atuação comuns, instrumentais e operativas dos órgãos e serviços. Funções exercidas com responsabilidade e autonomia técnica, ainda que com enquadramento superior qualificado. Representação do órgão ou serviço em assuntos da sua especialidade, tomando opções de índole técnica, enquadradas por diretivas ou orientações superiores”, às quais corresponde o grau de complexidade de nível 3.
      2. Caracterização dos Postos de Trabalho:
        Referência A - Funções Consultivas, de estudo, planeamento, programação, avaliação e aplicação de métodos e processos de natureza técnica e ou científica, que fundamentam e preparam a decisão. Elaboração, autonomamente ou em grupo, de pareceres e projetos, com diversos graus de complexidade, e execução de outras atividades de apoio geral ou especializado nas áreas de atuação comuns, instrumentais e operativas dos órgãos e serviços. Funções exercidas com responsabilidade e autonomia técnica, ainda que com enquadramento superior qualificado. Representação do órgão ou serviço em assuntos da sua especialidade, tomando opções de índole técnica, enquadradas por diretivas ou orientações superiores, às quais corresponde o grau de complexidade de nível 3.
    5. Determinação do posicionamento remuneratório:
      1. De acordo com o artigo 12.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, à pessoa recrutada é atribuída a 2.ª posição remuneratória da categoria única da carreira geral de técnico superior.
    6. Âmbito do recrutamento:
      1.  Em conformidade com o disposto no n.º 2 do artigo 3.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, podem ser opositores as pessoas que exerçam ou tenham exercido as funções em causa:
        1. No período entre 1 de janeiro a 4 de maio de 2017, ou parte dele, e durante pelo menos um ano à data do início do procedimento concursal de regularização;
        2.  Nos casos de exercício de funções no período entre 1 de janeiro e 4 de maio de 2017, ao abrigo de contratos emprego-inserção, contratos emprego-inserção+, as que tenham exercido as mesmas funções nas condições referidas no proémio, durante algum tempo nos três anos anteriores à data do início do procedimento concursal de regularização;
        3. Nos casos de exercício de funções ao abrigo de contratos de estágio celebrados com a exclusiva finalidade de suprir a carência de recursos humanos essenciais para a satisfação de necessidades permanentes, durante algum tempo nos três anos anteriores à data do início do procedimento concursal de regularização.
    7. Prazo, forma e local para apresentação de candidaturas:
      1. Prazo: 10 dias úteis, contados da data da publicação do presente Aviso;
      2. Forma: Por correio eletrónico, podendo também ser entregue em papel, mediante o preenchimento do formulário de candidatura, disponível em www.amcb.pt, acompanhado da documentação indicada no ponto 9 que se segue;
      3.  Local: Por correio eletrónico para [email protected] ou pessoalmente, na sede da AMCB, Largo dos Bombeiros Voluntários, 6250-088 Belmonte, nos dias úteis das 9h00m às 12h30m e das 14h00m às 17h30m.
    8. Requisitos de admissão:
      1. Gerais: São requisitos gerais os previstos no artigo 17.º da LTFP, aprovada em anexo à Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, designadamente:
        1. Nacionalidade portuguesa, quando não dispensada pela Constituição, convenção internacional ou lei especial;
        2. 18 anos de idade completos;
        3. Não inibição do exercício de funções públicas ou não interdição para o exercício daquelas que se propõe desempenhar;
        4. Robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções;
        5. Cumprimento das leis de vacinação obrigatória.
          O candidato deverá declarar obrigatoriamente no formulário de candidatura que reúne os requisitos acima indicados.
      2. Nível habilitacional:
        Referência A - Titularidade de Licenciatura em Economia, não sendo possível a substituição do nível habilitacional por formação ou experiência profissional.
    9. Documentos a apresentar:
    • O formulário de candidatura deverá ser acompanhado dos seguintes documentos, sob pena de exclusão do candidato:
    • Curriculum Vitae atualizado e detalhado, mencionando nomeadamente a experiência profissional relevante para o exercício das funções do lugar a concurso, ações de formação e aperfeiçoamento profissional relevantes, com referência à sua duração;
    • Fotocópia do certificado de habilitações literárias;
    • Fotocópia dos comprovativos dos requisitos específicos (para os casos em que seja aplicável);
    • Fotocópias de outros documentos comprovativos dos factos referidos no Curriculum Vitae.
    1. Para aplicação dos métodos de seleção e respetivos parâmetros, quando aplicável, apenas serão considerados os factos/elementos devidamente documentados.
    2. A apresentação de documento falso determina a exclusão do candidato, sem prejuízo de participação às entidades competentes para efeitos de procedimento disciplinar e/ou penal.
    3. Métodos de seleção:
      1. Nos termos do n.º 6 do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, são aplicáveis os métodos de seleção de avaliação curricular, sendo fator de ponderação o tempo de exercício de funções caracterizadoras dos postos de trabalho a concurso e, havendo mais de um opositor no recrutamento para o mesmo posto de trabalho, é ainda aplicável a entrevista profissional de seleção;
      2. Aos candidatos abrangidos pelo n.º 2 do artigo 36.º da LTFP, serão aplicados os seguintes métodos de seleção: Avaliação Curricular (AC) e o método complementar de Entrevista Profissional de Seleção (EPS) para os postos de trabalho onde sejam opositores mais de um candidato. Sendo os métodos utilizados eliminatórios pela ordem enunciada, serão excluídos aqueles que obtenham uma classificação final inferior a 9,5 valores num dos métodos, ou que não compareçam à realização da entrevista profissional de seleção, quando aplicável.
        A ordenação final dos candidatos que completem os procedimentos concursais será efetuada numa escala de 0 a 20 valores e de acordo com aplicação das regras seguintes:
      • Procedimentos concursais em que exista um único candidato ao posto de trabalho:
        CF = AC x 100 %
      • Procedimentos concursais em que exista mais do que um candidato para o (s) posto (s) de trabalho:
        CF - = (AC x 80%) + (EPS x 20%)
        Em que:
        CF = Classificação Final;
        AC = Avaliação Curricular;
        EPS = Entrevista Profissional de Seleção.
      1. A Avaliação Curricular visa analisar a qualificação dos candidatos, designadamente a habilitação académica ou profissional, percurso profissional, relevância da experiência adquirida e da formação realizada e tipo de funções exercidas.
      2. Na Avaliação Curricular (AC) serão considerados e ponderados numa escala de 0 a 20 valores, os seguintes parâmetros:
      • Habilitação Académica (HA);
      • Formação Profissional (FP);
      • Experiência Profissional (EP).
      1. A Avaliação Curricular será expressa numa escala de 0 a 20 valores, com valoração até às centésimas, sendo a classificação obtida através da média aritmética simples das classificações dos elementos a avaliar, de acordo com a aplicação da fórmula seguinte:
      • AC = (HA x 10%) + (FP x 10%) + (EP x 80%)
      1. Sempre que algum dos documentos apresentados pelos candidatos impossibilite a avaliação de um dos parâmetros relativos à Avaliação Curricular, ser-lhe-á atribuída a nota mínima prevista para esse parâmetro.
      2. A Entrevista Profissional de Seleção (EPS), visa avaliar, de forma objetiva e sistemática, a experiência profissional e aspetos comportamentais evidenciados durante a interação estabelecida entre o júri e o entrevistado, nomeadamente os relacionados com a capacidade de comunicação e de relacionamento interpessoal.
        Será avaliada de 0 a 20 valores com valoração até às centésimas e incidirá sobre os seguintes parâmetros de avaliação:
      • Qualidade da Experiência Profissional (QEP);
      • Motivação / Interesse (MI);
      • Responsabilidade (R);
      • Sentido Crítico (SC).
      1. Por cada entrevista profissional de seleção será elaborada uma ficha individual contendo o resumo dos temas abordados, os parâmetros de avaliação e a classificação obtida em cada um deles, devidamente fundamentada, sendo o local, data e hora da sua realização atempadamente afixados em local visível e público nas instalações da AMCB;
      2. Sendo realizada pelo Júri, a classificação a atribuir a cada parâmetro de avaliação resulta de votação nominal e por maioria, e o resultado final obtido através da média aritmética simples das classificações dos parâmetros em avaliação:
      • EPS = (QEP + MI + R + SC) / 4
    4. Os critérios de apreciação e ponderação a utilizar na aplicação dos métodos de seleção, bem como o sistema de classificação final, incluindo a respetiva fórmula classificativa, constam de ata de reunião do júri dos procedimentos concursais, sendo a mesma facultada aos candidatos sempre que solicitada.
    5. Critérios de desempate:
      Na sequência da aplicação dos métodos de seleção e da ordenação final dos candidatos, subsistindo o empate, após a aplicação dos critérios de ordenação preferencial previstos no artigo 35.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril, serão utilizados os critérios de desempate abaixo enunciados, de acordo com a seguinte ordem:
    • 1.º - Candidato com maior experiência profissional na área funcional;
    • 2.º - Candidato com maior formação profissional na área.
    1. Constituição do Júri
      1. Referência A
      • Efetivos
        Presidente: Fernando Adriano Neto, Chefe de Equipa Multidisciplinar da Qualidade, Modernização Administrativa e Auditoria da Câmara Municipal de Seia.
      • Vogais Efetivos: Paulo Alexandre Saúde Mendonça, Chefe de Divisão de Infraestruturas, Vias, Obras Municipais e Ambiente da Câmara Municipal de Seia e José Manuel Custódia Biscaia, Secretário-Geral da Associação de Municípios da Cova da Beira.
      • Vogais Suplentes: António Luís Monteiro Ruas, Primeiro Secretário executivo intermunicipal da Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra da Estrela e António José Dinis Miraldes, Chefe de equipa multidisciplinar, Coordenador da Equipa de Apoio Técnico da Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra da Estrela.
    2. Os candidatos serão notificados por uma das formas previstas no n.º 3 do artigo 30.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril.
    3. A lista dos resultados obtidos será disponibilizada em www.amcb.pt e afixada em local visível e público na sede da AMCB, em Belmonte.
    4. A lista unitária de ordenação final, após homologação, será publicada em www.amcb.pt e afixada em local visível e público na sede da AMCB, em Belmonte.
    5. Nos termos do n.º 4 do artigo 10.º da Lei n.º 112/2017, de 29 de dezembro, o presente aviso será publicado na bolsa de emprego público (www.bep.gov.pt).

    Formulario de candidatura no link em baixo:

    https://drive.google.com/file/d/1o1GGJi5g70JAQDutbfBsDmsle0mJ3xEW/view

    Belmonte, 14 de maio de 2018.
    O Presidente do Conselho Diretivo
    Dr. António Pinto Dias Rocha

  • Ver Imagem
    17-04-2018

    III GP Internacional Beiras e Serra da Estrela

    GP Internacional Beiras e Serra da Estrela

    Etapa para González e geral para Dmitrii Strakhov

    Neste que foi o mais participado evento, quer pelo publico, quer pelo numero de equipas, a Associação de Municipios faz um balanço extremamente positivo, considerando este como o maior e mais importante evento de marketing territorial de toda a região.

    Esta ultima etapa foi ganha pelo espanhol Mário González (Sporting-Tavira), uma ligação de 149,9 quilómetros, entre Gouveia e a Guarda, que o russo Dmitrii Strakhov (Lokosphinx) aproveitou para conquistar a camisola amarela final.

    A etapa foi muito atacada pelos homens do Sporting-Tavira, que lançaram Joni Brandão, Frederico Figueiredo e Álvaro Trueba para a frente da corrida na subida para as Penhas Douradas. A W52-FC Porto absorveu o trio e logo se formou nova fuga. Entre os seis elementos que escaparam estavam dois sportinguistas, Álvaro Trueba e Alejandro Marque. Mais adiante, já com a subida para a Guarda em ponto de mira, o dono da camisola dos trepadores, Mário González, abalou do pelotão, passou pelo grupo de fugitivos e triunfou em solitário, coroando de sucesso a estratégia de Vidal Fitas.

    Mário González cortou a meta com 4h08m19s, menos 36 segundos do que o segundo classificado, o jovem Brandon McNulty (Rally Cycling), campeão mundial júnior de contrarrelógio em 2016. O terceiro, a 39 segundos, foi o russo Dmitrii Strakhov.

    Os 4 segundos de bonificação pelo terceiro posto na tirada, somaram-se a 2 segundos que Strakhov conquistou na primeira meta volante do dia, anulando a desvantagem de 6 segundos com que partira para César Fonte (W52-FC Porto). Um corte de 2 segundos na chegada consumou a reviravolta classificativa.

    Dmitrii Strakhov concluiu os três dias de competição com uma vantagem de 2 segundos sobre César Fonte. O terceiro, a 9 segundos, foi Joni Brandão. O russo sucede a Jesús del Pino como vencedor do Grande Prémio Internacional Beiras e Serra da Estrela.

    O corredor da Lokosphinx ganhou também a classificação da juventude, enquanto o Sporting-Tavira ficou com as classificações da montanha e das metas volantes, por intermédio de Mário González e Joni Brandão, respetivamente. A Efapel impôs-se por equipas.

    Classificações

    3.ª Etapa: Gouveia - Guarda, 149,9 km (Média: 40,666 km/h)

    1.º Mário González (Sporting-Tavira), 4h08m19s

    2.º Brandon McNulty (Rally Cycling), a 36s

    3.º Dmitrii Strakhov (Lokosphinx), a 39s

    4.º Joni Brandão (W52-FC Porto), mt

    5.º Joaquim Silva (Caja Rural-Seguros RGA), a 41s

    6.º César Fonte (W52-FC Porto), mt

    7.º Daniel Mestre (Efapel), a 42s

    8.º Henrique Casimiro (Efapel), mt

    9.º Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista), a 44s

    10.º Xuban Errazkin (Vito-Feirense-BlackJack), mt

    Geral Individual

    1.º Dmitrii Strakhov (Lokosphinx), 13h26m57s

    2.º César Fonte (W52-FC Porto), a 2s

    3.º Joni Brandão (Sporting-Tavira), a 9s

    4.º Brandon McNulty (Rally Cycling), a 12s

    5.º Henrique Casimiro (Efapel), a 13s

    6.º Wilmar Paredes (Manzana Postobon), a 17s

    7.º Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista), mt

    8.º Joaquim Silva (Caja Rural-Seguros RGA), a 18s

    9.º Daniel Mestre (Efapel), a 20s

    10.º Xuban Errazkin (Vito-Feirense-BlackJack), a 21s

  • Ver Imagem
    26-03-2018

    APRESENTAÇÃO DO III GP INTERNACIONAL BEIRAS E SERRA DA ESTRELA 3 DE ABRIL NO CEDET EM VILAR FORMOSO

    Pelo terceiro ano a Associação de Municípios da Cova da Beira organiza uma prova Internacional de ciclismo disputada em todo o seu território que se denomina 3º Grande Prémio Internacional Beiras e Serra da Estrela e é disputada de 13 a 15 de Abril de 2018.

    O 3º Grande Prémio Internacional Beiras e Serra da Estrela, visa utilizar o ciclismo como um importante veículo de promoção e divulgação da região das Beiras e Serra da Estrela.

    Esta prova tem como alvo principal a promoção regional e a projeção desta região, com enormes potencialidades naturais e diversificado património, cultural e gastronómico, enquanto destino turístico sustentável, durante todo o ano.

    Os 3 dias de prova , estão estrategicamente colocados no calendário Internacional de Ciclismo, dado ser início de época e ser possível desta forma captar o máximo de Equipas de nível internacional, potenciando também uma época baixa na região. As 3 etapas deste 3º Grande Prémio Internacional Beiras e Serra da Estrela, foram estrategicamente desenhadas para que a prova percorra todo o território dos 16 Municípios envolvidos no evento.

    Ao captar para o seu território uma prova internacional que junta os melhores ciclistas do pelotão internacional, a Associação de Municípios da Cova da Beira em parceria com a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela e o Turismo do Centro de Portugal, vislumbra uma oportunidade soberana de aprofundar e divulgar no contexto europeu a região que conta com uma grande envolvência na relação transfronteiriça com uma comunidade autónoma espanhola, geograficamente contígua, com mais de 2,5 milhões de habitantes, não só no plano desportivo, como também no cultural, social e económico.

    Um evento de dimensão Internacional como este, envolve estruturas logísticas e Humanas de elevada importância e dimensão que passamos a descrever.

    Meios Humanos

    •Staff organização :  Cerca de 250 pessoas.

    •Staff equipas e auxiliares :  Cerca de 500  pessoas

    •Jornalistas :  Cerca de 70  pessoas

    •Juízes e Comissários :12

    Logística Estrutural

    •4 Camiões  TIR

    •10 Viaturas Comerciais  

    •22 Carros organização

    •20 Motos organização

    •3 Carros Brigada transito

    •16  Motos Brigada trânsito    

    Esta será com certeza uma das maiores provas do panorama Nacional, contando com um surpreendente numero de equipas Internacionais e Nacionais, que farão as delicias das famílias que acompanham tradicionalmente este tipo de eventos.

  • Ver Imagem
    17-03-2018

    GEOATLANTIC - Geotermia na Beira Interior

    Os parceiros do projeto GEOATLANTIC onde se inclui a Associação de Municipios da Cova da Beira – reuniram em Puerto de la Cruz, ilha de TENERIFE, Espanha, na passada semana para discussão das próximos ações locais relativamente à promoção e divulgação de perspetivas futuras de aproveitamento dos recursos geotérmicos.

    O projeto geoATLANTIC constituído por uma parceria de 11 sócios internacionais de  cinco países, França, Irlanda, Portugal, Espanha, Reino Unido foi candidatado à iniciativa INTERREG ATLANTIC. Prevê-se com o projeto promover e divulgar o aproveitamento da geotermia para aquecimento e arrefecimento de edifícios na região. O projeto prevê ainda a implementação de vários projetos-piloto sobretudo em edifícios municipais na região, utilizando sondas verticais e bombas térmicas para aquecimento dos edifícios eleitos. No verão, o processo é invertido e o excesso de calor é transferido para o subsolo.

    O projeto visa ainda sensibilizar e informar o cidadão para a utilização da geotermia, intervindo nas várias áreas de relevo para o desenvolvimento e implementação da atividade na região e em Portugal nomeadamente a nível de informação, disseminação investigação e legislação deste tipo de energia renovável, apresentando as suas vantagens. 

    As atividades do projeto GeoATLANTIC passam por difundir a informação e as melhores práticas operacionais envolvidas no uso das bombas de calor geotérmicas, promover o diálogo na comunidade geotérmica, colocar em contacto os vários atores do mercado.

    Um dos objetivos da Estratégia de União Energia é enveredar cada vez mais pelas energias renováveis. A nova diretiva sobre política energética e sustentabilidade propõem como objetivo vinculativo para a União Europeia a utilização de pelo menos de 20% de energia consumida através de energia renovável até 2020.

    Apenas uma pequena parte do potencial da energia geotérmica é explorada na Europa. Aumentar a sua utilização e fortalecer a indústria da energia geotérmica vai permitir uma redução substancial na redução de CO2. Em combinação com as tecnologias, as fontes renováveis ​​podem fornecer a energia para produção de calor e frio, podendo representar metade da necessidade de energia na Europa.

    O desafio do geoATLANTIC é desenvolver metodologias e ferramentas para promover a cooperação nas comunidades locais para a transição energética e aproveitamento da energia geotérmica.

    No consórcio do projeto estão representadas as seguintes instituições; ESPANHA - Concelho de Ourense, Energylab, ITER- Instituto tecnológico e de Energia Renováveis | PORTUGAL, Universidade do Porto, Associação de Municipios da Cova da Beira, Eda Renováveis |REUNO UNIDO Eden Project, ISLAY energy trust, ALInergy,| FRANÇA, ALEC  | IRLANDA, Cork Institute of Techonology |  EHPA,  European Heat Pump Association

    Parceiros Associados - RNAE  - Rede Nacional e Agências e Energia | Direção Regional da Energia da Região Autónoma dos Açores | Câmara Municipal de Ribeira Grande (Açores) Câmara Municipal de Povoação (Açores)

  • Ver Imagem
    05-02-2018

    AMCB aprova Plano Plurianual de Investimentos para o ano de 2018

    Reuniu no passado dia 31 de Janeiro, no Ninho de Empresas do Conhecimento em Figueira de Castelo Rodrigo, o Conselho Diretivo da Associação de Municípios da Cova da Beira.

    A AMCB no cumprimento do seu projeto social, tem vindo a desenvolver estratégias que, ao longo dos anos se afirmaram como instrumentos diferenciadores dos municípios que a constituem, na promoção da mobilidade e da inovação, no desenvolvimento sustentável e na melhoria das condições de vida das suas populações.

    No radar das preocupações, a Educação, Formação e Igualdade de Género; O Planeamento, Ordenamento Territorial e a Sustentabilidade e Eficiência de Recursos; a Cooperação Transfronteiriça; e a Gestão Energética, são as principais ações e medidas desta Associação.

    O Presidente do Conselho Diretivo antevê que o ano de 2018 seja um ano de forte execução do atual quadro comunitário prevendo-se a conclusão de alguns projetos, entretanto definidos e candidatados e em evidência de outras candidaturas. “Será prosseguido, com sensibilidade e bom senso a missão de bem servir os nossos associados, procurando reforçar os fortes laços existentes, num trabalho interativo e de sustentabilidade do desenvolvimento do nosso território sempre numa perspetiva de desenvolvimento sustentável e equilibrado”. 

    O Conselho Diretivo pretende dar continuidade aos objetivos já definidos e às medidas que os materializam designadamente: - Manter a cooperação com a CCDRC e com outras entidades, nomeadamente as que nos estão mais próximas, como é o exemplo da CIM Beiras e Serra da Estrela; - Colaborar com a Agência Regional de Energia e Ambiente do Interior - ENERAREA nas suas atividades de planeamento e intervenção na procura de respostas numa vertente de otimização e racionalização de consumos energéticos em infraestruturas municipais bem como fomentar e promover projetos na área das energias renováveis. - Continuar a cooperação transfronteiriça e integrar novos contextos institucionais, legais e operativos; - Reforçar redes de incorporação de saber tecnológico com instituições de Ensino Superior, - Promover a criação, atualização, circulação e disponibilização de dados no Sistema de Informação Geográfico no âmbito do Território, - Promover projetos locais/internacionais no âmbito da smartcities (cidades sustentáveis), - Mobilizar a necessária disponibilidade de pessoas e meios para as respostas possíveis a situações imprevistas, -Manter a interação com os Municípios

    “Entendemos que o plano para o ano 2018 permitirá por um lado, dar continuidade a projetos que tiveram início durante o ano de 2017, outros ainda numa fase de pré-execução e outros a articular com os Municípios que incorporem novas ideias a desenvolver dentro do novo quadro comunitário.”

    3.200.000,00 é o valor que esta Associação apresenta para o corrente Ano de 2018.

  • Ver Imagem
    10-01-2018

    AMCB Inicia a instalação de Sistemas de climatização do tipo SPLIT Bomba de Calor Inverter de classe energética A+ ou superior em edifícios Municipais.

    A AMCB – Associação de Municípios da Cova da Beira e os seus municípios associados estabeleceram uma parceria para a apresentação e desenvolvimento da medida tangível ”BCEM – Bombas de Calor em Edifícios Municipais”, dirigida ao concurso destinado às medidas “Tangíveis (promotores não empresas do sector)” segmento comércio e serviços, no quadro do Plano de Promoção da Eficiência no Consumo 2017-2018.

    Esta candidatura tem por objetivo a melhoria da eficiência energética através da substituição dos obsoletos equipamentos de climatização (radiadores, radiadores a óleo, termo ventiladores, entre outros que tenham por base o principio de funcionamento por resistência elétrica), por bombas de calor nos edifícios e infraestruturas municipais, contribuindo para a melhoria das condições de conforto dos utentes nos locais das intervenções.

    A intervenção que se inicia agora, prevê a substituição de 450 Equipamentos Climatização Puramente Resistivos por Sistemas de climatização do tipo SPLIT Bomba de Calor Inverter de classe energética A+ ou superior.

    A implementação desta medida apresenta um custo total orçamentado em 403.952 Euros, englobando os custos de equipamento e de gestão/desenvolvimento da globalidade do projeto.

    Como benefícios da implementação desta medida resultam a economia de 1.549.225 kWh/ano, equivalentes a custos evitados de fornecimento de energia elétrica de 169.795 Euros. A valorização económica das emissões de CO2 evitadas é de 13.633 Euros

  • Ver Imagem
    03-01-2018

    VII Edição ECORAIA 2017

    Decorreu no passado fim de semana de 9 e 10 a ECORAIA 2017 em Salamanca, esta feira decorre pelo sétimo ano consecutivo no pavilhão de exposições da Diputación de Salamanca.

    Estiveram presentes mais de 100 expositores com uma representatividade de mais de 50% de produtores Nacionais, os quais apresentaram e venderam os seus produtos neste espaço, revelando-se desta forma, uma oportunidade de negocio imediato e futuro com as relações estabelecidas com empresários espanhóis que procuram também neste certame alternativas aos produtos que já comercializam.

    Este evento é realizado em parceria com a Comunidade de Trabalho BIN- SAL e Diputación de Salamanca, no âmbito do projeto BIN SAL Empreende, e reforçam as relações existentes entre as instituições que contabilizam mais de 10 anos em diversos projetos.

    Foram mais de 30.000 visitantes, que num fim de semana prolongado, e antecipando o Natal, puderam realizar as suas compras especialmente em produtos Agro Alimentares.

    A AMCB esteve representada pelo seu Presidente Dr. António Dias Rocha, que faz um balanço extremamente positivo desta iniciativa e que deverá ter continuidade atendendo ao sucesso que vem alcançando todos os anos. Pela Diputación de Salamanca esteve o seu presidente Francisco Javier Iglesias Garcia, que abraça e vê como oportuna e necessária para que a dinamização do comércio transfronteiriço seja reforçado e, desta forma, surjam novas oportunidades para os habitantes desta província de Salamanca.